Skip to content

Planeta Terra Festival 2011: O que rolou no Main Stage!

10/11/2011

O Planeta Terra Festival 2011, realizado no dia 05 de Novembro, contou com uma organização impecável em comparação às suas edições anteriores, seja pelo maior conforto durante o evento devido ao menor número de ingressos disponíveis (foram vendidos 5 mil ingressos a menos este ano) ou pela enorme quantidade de patrocinadores, sem falar na pontualidade das apresentações, que sempre foi um ponto alto do Terra.

O que pode ter tornado o festival entediante para alguns foi o line-up. Com o estilo pouco diversificado e nomes de peso como headliners, tornou o restante das atrações restritas para fãs que já conheciam o trabalho das bandas, movendo para a montanha-russa ou distraindo quem estava caindo de para-quedas na pista somente para ver os Strokes ou o Beady Eye.

O Main Stage começou suas atrações com os conterrâneos do Nação Zumbi, que mesmo com a pista praticamente vazia empolgou os fãs e conseguiu entreter as pessoas que os assistiam de longe ou somente escutavam o show enquanto se preparavam para as próximas atrações. Não chamou a atenção de ninguém, mas também não estragou a diversão dos que aceitaram o convite.

Mas as coisas começaram a ficar animadas quando o trio White Lies subiu no palco. Abrindo o show com o sucesso “Farewell To The Fairground”, a bateria pulsante e bem marcada conquistou logo de cara muitos que não conheciam a banda. Recheado de sucessos e obra-primas, o setlist da banda agradou ao público e despertou a animação dos poucos ultra-fãs que se encontravam ali, cantando todas as músicas.

Era a vez do Broken Social Scene entrar em cena, e a pista estava começando a ficar lotada, seja pelos fãs do Interpol ou por seus poucos fãs, mas isso não foi motivo de preocupação. Com uma apresentação um tanto quanto desanimada e experimental, a banda demonstrou uma impecável habilidade instrumental e conseguiu entreter o público com um repertório ora dançante, ora relaxante. No final, os canadenses mostraram um pouco de simpatia ao tocar faixa Swimmers, um pedido dos fãs, e ficou evidente que a doce voz de Emily Haines, também vocalista do Metric, conquistou a “indiezada”.

O show do Interpol mostrou-se muito especial para os fãs que, já habituados com a obscuridade do grupo, cantavam em coro todas as músicas e admiravam a postura apática dos integrantes. Com linhas de baixo bem marcadas e construídas, a voz de Paul Banks ganhou corpo e provou que o tempo não corroeu as energias da banda. Foi uma apresentação memorável e repleta de sucessos como Narc, Evil e Barricade mas que, infelizmente, não agradou a todos que estavam presentes.

A tão esperada Beady Eye, banda do superstar inconveniente e ex-Oasis Liam Gallagher, decepcionou a maioria do público, com exceção dos fãs remanescentes do Oasis, que estavam gritando seu nome desde o começo do festival. O começo do show foi digerível e manteve todos atentos ao palco com as excelentes The Roller e Beatles And Stones, mas acabou por aí. O restante da apresentação foi marcado por baladas intermináveis e entediantes, até que as pessoas começaram a bocejar ou até sentar na pista para esperar a tortura terminar. Valeu a pena ficar em pé somente pela habilidade do baterista Chris Sharrock.

Já era madrugada, 1h45 da manhã, e os fãs estavam de pé, cansados e famintos, quando os tão esperados Strokes subiram no palco, já despertando os gritos das fãs. O show começou com a clássica New York City Cops, do histórico e primeiro álbum da banda Is This It, e já levou a pista à loucura. De fato, Julian Casablancas não está nas melhores condições, mas isso não foi suficiente para prejudicar a apresentação, uma vez que o público estava muito ocupado cantando hinos como You Only Live Once e Someday. Já o encapuzado e manco guitarrista Nick Valensi, ignorou a “irmandade” de Casablancas durante a faixa Under Control e mostrou-se imparcial com seus companheiros de banda a noite toda. Mesmo que os Strokes não estejam passando por uma boa fase, foi um show ótimo e memorável para todos que presenciaram pessoalmente ou até mesmo através do livestream.

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s